Pular para o conteúdo
Início » Comer, rezar, amar e meter o loko!

Comer, rezar, amar e meter o loko!

Seja como você é. De maneira que possa ver quem é. Quem é e como é. Deixe por um momento o que deve fazer e descubra o que realmente faz. Arrisque um pouco, se puder. Sinta seus próprios sentimentos. Diga suas próprias palavras. Pense seus próprios pensamentos. Seja seu próprio ser. Descubra. Deixe que o plano pra você surja de dentro de você.

Fritz Perls

A romancista Elizabeth Gilbert, autora de “Comer, Rezar e Amar” deu uma entrevista em 2017 falando sobre carreira, vocação, trabalho, hobbies e os escambau tudo!

Nessa entrevista ela fez uma colocação sobre escolhas muito interessante. Olha só esse pulo do gato. Segundo a Beth (pra parecer que somos bff), nossas escolhas giram em torno de: medo ou amor.

As escolhas/decisões pautadas pelo medo criam barreiras e afastamento, indo na direção contrária do que queremos, gostamos ou sentimos. Como se fosse uma medida de segurança. É o medo no modo aprisionar, que explorei nesse texto aqui: “qual o medo que o medo tem?“.

O foco das escolhas/decisões pautadas pelo medo está todo em SE SENTIR SEGURO, mesmo que eu possa perder muita coisa em troca da segurança.

Nessa pauta do medo nas escolhas existe pouca disponibilidade para correr risco, se expor e se frustrar. É a famosa repetição de se manter na zona de (des)conforto.

Escolhas pelo viés do medo usam nossa energia na construção de muros.

As escolhas/decisões pautadas pelo amor criam movimentos de aproximação daquilo que quero, daquilo que gostaria de viver, sentir, experimentar.

Fico mais atento e envolvido em construir uma existência onde, ao final dela, posso afirmar que vivi uma vida sem me dever nada, uma vida onde me pego satisfeito com todos os riscos, exposições e frustrações aos quais me disponibilizei.

Escolhas pelo viés do amor usam nossa energia na construção de pontes.

Tu ja parou pra pensar se suas escolhas/decisões andam construindo muros ou pontes pra você? Saia um pouco do automático e dá uma refletida aí. 

Lembrei de um pomea do Bukowski. Se esse texto te tocou, certeza que o poema dele mais ir mais fundo.

OBS.: É necessário ativar a legenda no vídeo.

Gostou desse texto? Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.